Autorretrato

Eunice Mendes - infância

Eunice quer dizer: aquela que busca a vitória

Nasci numa tarde de 27 de junho, na Vila Tibério, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Fui uma criança inibida e, ao menos me parecia então, sem atributos físicos que atraíssem elogios. Felizmente, cheguei a este planeta com um manual de sobrevivência e muito cedo aprendi que teria de usar os meu poderes intrínsecos para abrir caminhos.

Meu pai, uma pessoa encantadora que me amava profundamente, ensinou-me que não era preciso ser bonita para ser amada. Um dia eu disse a ele:

– Pai, eu sou tão feia, tão envergonhada, tão timída, pareço avestruz que enterra a cabeça na areia… Eu me sinto, pai, como se tivesse um defeito de fabricação…

E ele me respondeu:

– Você é bonita, filha, tem estrelas nos olhos! Comece a construir sua história. Comprei este livro para você, O poder do pensamento positivo, leia-o e depois me conte o que entendeu e o que pode fazer pela sua timidez. Tenho certeza de que aprenderá que timidez não é destino.

De braços abertos

Do seu jeito simples e amigo, ele sabia que todos os seres humanos têm direito à palavra, a demarcar seu espaço no mundo e a realizar seus projetos.

– Estude, filha, compartilhe seus tesouros escondidos, abra outras janelas, outras portas, busque novas paisagens. Você tem determinação e talento para isso!

E assim fui tecendo minha vida, vencendo meu jeito envergonhado, meu medo, minha inibição. Fui percorrendo caminhos – a arte dramática, a poesia, o ensino da palavra expressiva a platéia diversas -, tendo sempre como motor a determinação para superar desafios e a vocação para ser feliz e procurar fazer felizes aqueles que cruzam meu destino.

Dinâmica - preparação